No Luxemburgo Velhas glórias da Guiné-Bissau querem dinamizar futebol do país

(ÁC) Um grupo de ex-jogadores de futebol guineenses residentes no Luxemburgo, que se notabilizaram em Portugal e outros campeonatos, quer dar outra dinâmica ao futebol do país através de várias iniciativas.

Emanuel Cunha (Sporting, Aves e Chaves), Armando (Boavista e Salgueiros), Reinaldo (Benfica), Domingos Gomes (Elvas) e Lai (FC Porto e Tirsense) são alguns dos mais conhecidos de um grupo de cerca de 20 ex-futebolistas que se encontra regularmente à volta da mesa para discutir e analisar o futebol guineense.

“A Guiné tem que evoluir emváarios aspetos porque tem jogadores de qualidade”, lança Emanuel Cunha.

“Existem problemas nos campeonatos internos e a nível internacional a seleção tem tido prestações aquém do seu potencial. Isso deixa-nos tristes e tem de mudar”, junta Domingos Gomes com alguma desilusão.

“Vamos criar uma associação de ex-jogadores para estabelecer contactos internacionais, efetuar jogos e eventos com o intuito de credibilizar o futebol guineense. É urgente dinalizar as estruturas do país para podermos chegar a outros patamares”,  remata Emanuel Cunha.

Fundo Saudita e Banco Árabe de Desenvolvimento emprestam 18,6 MEuro à Guiné-Bissau para Desenvolver Sector da Energia

O Fundo Saudita de Desenvolvimento e o Banco Árabe de Desenvolvimento vão emprestar 18,6 milhões de euros a Guiné-Bissau para a melhoria de fornecimento de energia elétrica às populações, anunciou hoje o ministro das Finanças guineense, João Fadiá.

As duas entidades financeiras vão dar, cada uma, a metade do valor e o governo de Bissau irá adquirir grupos eletrogéneos para produzir 20 megawatts de energia elétrica e distribuir às populações da cidade de Bissau, adiantou o ministro.

João Fadiá indicou que os empréstimos serão reembolsados dentro de 30 anos, com 10 de carência, com uma taxa de juros de 1%.

O ministro acredita que com a entrada em funcionamento dos grupos eletrogéneos a serem adquiridos com os empréstimos das duas entidades árabes, o governo “poderá fazer face às dificuldades” na produção e distribuição de energia elétrica em Bissau.

O diretor-geral das operações do Fundo Saudita de Desenvolvimento, Fawzi Alsaud, que esteve em Bissau para assinatura hoje do protocolo do empréstimo, disse que apesar dos 18,6 milhões de euros virem de duas entidades diferentes, o projeto será executado conjuntamente.

A cidade de Bissau passa, nos últimos meses, por longos períodos de cortes de energia elétrica e água canalizada.

A empresa de Eletricidade e Agua da Guiné-Bissau (EAGB) diz-se com dificuldades em produzir os cerca de 25 megawatts de energia de que precisa para responder às necessidades dos habitantes de Bissau.

O Ministro das Finanças da Guiné-Bissau, Dr. João Aladje Fadia e o diretor-geral do Fundo Saudita de Desenvolvimento, Fawzi Alsaud, no momento da assinatura do contrato.

Fonte da empresa indicou à Lusa que a produção, desde há cinco meses, não ultrapassa os 13 megawatts de energia, o que, sublinha, leva os cortes sistemáticos, como forma de atender todos os clientes.

MINISTÉRIO DA ENERGIA E INDUSTRIA. DIRECÇÃO GERAL DA ENERGIA: Projet de renforcement de la capacité de production d’énergie électrique par la construction d’une centrale thermique diesel

DE JORNAL NÔ PINTCHA / ANUNCIOS, ATUALIDADES, SOCIEDADE / 16 OUT 2017

REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU
MINISTÉRIO DA ENERGIA E INDUSTRIA
DIRECÇÃO GERAL DA ENERGIA

Avis d’Appel d’Offres

Destinataire : Aux Soumissionnaires Bissau, le16 Octobre de 2017
Référence : 001/AA0I/MEI/2017
Pays : Guinée Bissau
Nom du Projet : Projet de renforcement de la capacité de production d’énergie électrique par la construction d’une centrale thermique diesel.
Mesdames/Messieurs,
1. Le Gouvernement de la Guinée Bissau a reçu un prêt de la Banque Arabe pour le Développement Economique en Afrique (BADEA) et Fonds Saoudien pour le Développement (FSD), et a l’intention d’utiliser une partie du montant de ce don et de ce prêt pour effectuer les paiements au titre du marché suivant : Projet de renforcement de la capacité de production d’énergie électrique.

  1. La Direction Générale de l’Energie invite les candidats à soumettre leurs offres sous pli fermé pour la CONSTRUCTION ET EXPLOITATION DE LA CENTRALE THERMIQUE DIESEL DE 22,4 MW SUR LE SITE DE LA CENTRALE EAGB DE BISSAU.
  2. L’Appel d’offres se fera selon les procédures d’appel d’offres international définies dans les Directives : Passation des marchés financés par les prêts de la BADEA et de FSD. Il s’adresse à tous les candidats éligibles selon les critères de la BADEA et de FSD.
  3. Les candidats qui le souhaitent peuvent obtenir tous renseignements complémentaires auprès de la Direction Générale de l’Energie à l’adresse suivante :
    M. Calos NETO, le Coordonnateur
    Avenida Combatentes da Liberdade da Pátria
    République de Guinée-Bissau
    Palácio do Governo
    Téléphone : +245 966605332
    Email: carlosnetogw@hotmail.com
  4. Un jeu complet du Dossier d’appel d’offres en français peut être obtenu auprès de la Cellule, à l’adresse ci-dessus, après paiement d’un montant non remboursable de deux cent cinquante mille (250.000) FCFA ou l’équivalent en Euros. Le paiement sera effectué en espèces. Le Dossier sera retiré au siège de la Direction Générale de l’Energie par le candidat.
  5. Les soumissionnaires fourniront un prix pour la totalité des installations sur la base d’une responsabilité unique. Ces prix seront HT. Toutefois, les soumissionnaires sont invités à se référer à la synthèse des droits, taxes et impôts directs et indirects appliqués aux projets de la Guinée Bissau.
  6. La réunion préparatoire à l’établissement des offres se tiendra à Bissau au siège de la Cellule de la gestion du projet, le 30 octobre 2017 à 09H TU.
  7. Les offres doivent être remises au siège de la Direction Générale de l’Energie, à l’adresse ci-dessus, au plus tard le 16 Decembre 2017 à 12H TU. Toutes les offres doivent être assorties d’une garantie de l’offre d’un montant de trois cent cinquante millions (350 000 000) XOF ou l’équivalent en Euros et délivrée par une institution bancaire connue et établie dans l’Espace UEMOA, selon le modèle figurant dans le DAO. Les offres reçues après le délai fixé seront rejetées. Les plis seront ouverts en présence des représentants des soumissionnaires qui décident d’assister à la séance d’ouverture qui aura lieu à l’adresse ci-dessus, le 17 Décembre 2017 à 09 H TU.
    Veuillez agréer, Mesdames/Messieurs, l’expression de notre considération distinguée.

M. Calos NETO, le Coordonnateur
Avenida Combatentes da Liberdade da Pátria
République de Guinée-Bissau
Palácio do Governo
Téléphone : +245 966605332
Email: carlosnetogw@hotmail.com

ENSINO: GOVERNO INAUGURA CENTRO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM BUBA

DE JORNAL NÔ PINTCHA / ATUALIDADES, EDUCAÇAO, NACIONAL, ULTIMAS / 08 DEZ 2017

O ministro da Educação Nacional, Sandji Fati, inaugurou em Buba, no dia 30 de novembro último, um centro de formação de professores com capacidade para albergar, anualmente, cerca de 100 formandos, cuja construção ascendeu a 500 mil dólares.

A arquitetura e os trabalhos de construção do mesmo foram coordenados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) na Guiné-Bissau, em estreita coordenação com o Ministério da Educação.

O ministro da tutela apontou como um dos objetivos melhorar a qualidade do ensino através de seleção criteriosa de docentes qualificados.

“Quanto maior for o número de professores, melhor será a qualidade do ensino, pois, o Governo passará a lecionar e ficar com os melhores docentes a partir da quantidade suficiente que existe”, disse Fati.

O centro foi batizado com o nome de Serifo Fall Camará, tendo o governante justificado essa nomeação por  aquele personagem ter sido um ex-combatente de liberdade da pátria e desempenhado o cargo de diretor-regional de Educação de Quínara.

Sandji Fati teve um discurso muito focalizado na política (atual crise) e à história da figura de Serifo Fall Camará.

A representante do UNICEF na Guiné-Bissau, Christine Jaulmes, em representação dos parceiros intervenientes no setor educativo, disse que o momento era de celebração, mas o compromisso com a educação é muito mais do que isso.

“Torna-se imperativo facultar aos filhos da Guiné-Bissau o acesso a um ensino de qualidade e que, para isso, é necessário que o país se faça dotar de uma classe docente adequada, em quantidade e qualidade necessárias”, adverte Jaulmes.

Christine Jaulmes revelou que, no plano específico, este centro de formação de professores vai contribuir para responder à necessidade nacional de tornar o corpo docente mais qualificado e estimou que o aumento de exigência na formação dos docentes vai elevar a qualidade do ensino. Acrescentou, ainda, que “não é possível ter uma educação de qualidade sem professores qualificados”.

Jaulmes advertiu ao Governo que a construção do edifício por si só não é suficiente. É também necessário que o ministério de tutela esteja em posição de colocar formadores e preparar conteúdos didáticos que assegurem a preparação de novos docentes.

De salientar que o centro de Buba é dos três centros com a mesma capacidade, sendo os dois outros, um em Bafatá (já inaugurado) e um em Cacheu (ainda por inaugurar), construídos com o financiamento da Parceria Mundial de Educação.

Segundo as estimativas, espera-se que, a partir de 2020, anualmente poderão sair nesses três centros cerca de 300 docentes para lecionar nas escolas do ensino básico e secundário com melhores qualificações.

Dados do centro

As obras de construção tiveram início em dezembro de 2015. O edifício principal tem quatro salas de aulas, uma biblioteca, um salão de reuniões e quatro casas de banho. Na cantina pode-se encontrar um salão para refeições, cozinha, casa de banho e despensa;

Dotado de instalação para gerador, o depósito de combustível tem capacidade para armazenar mil litros. Conta também com um depósito de água para 10 mil litros, assim como zonas de lazer.

SONY DSC

Entretanto, decorrem obras de construção de uma residência para albergar o diretor do centro e a respetiva família. O custo dessa estrutura, segundo o ministro da Educação, vai ser assumido na íntegra pelo Governo.

Exportação de Batata-doce/ Presidente da República promete encontrar mais mercado no estrangeiro

2017-12-05

(ANG) – O Presidente da República e o Governo vão prosseguir na prospeccao de mercados no estrangeiro visando o escoamento dos produtos agricolas da Guine-Bissau, em particular a Batata-doce, garantiu recentemente o Chefe de Estado guineense.

José Mário Vaz falava no passado dia 01 de Dezembro na povoação de Saré Meta, região de Bafatá, leste do país, ao presidir a cerimónia de partida de dez camiões com 350 toneladas de batata-doce para serem comercializadas no Senegal.

José Mário Vaz disse na ocasião que, pela primeira vez na sua história, o país conseguiu um bom preço de castanha de cajú, a produção de arroz em algumas regiões do país teve um bom resultado e, já no fim do ano, o escoamento da batata-doce para o Senegal.

“Pelo nosso potencial o cabaz de produtos agrícolas, não deve limitar-se apenas a estes produtos, mas deve também incluir a mancarra, óleo de palma, coconote, algodão, feijão,madioca, limão entre outros para tornar a nossa economia mais forte”, vincou JOMAV.

O presidente da Republica disse que com a promocao dos produtos agricolas do pais no estrangeiro decorre do cumprimento de promessa eleitoral em que havia dito que iria “mudar” a Guiné-Bissau..

O chefe de Estado sublinhou que esta mudança não está a ser fácil como era de esperar, porque mudar maus hábitos instalados ao longo de muitos anos, não é, e nem nunca foi fácil em parte alguma.

“Ao longo do meu mandato a mudança que propomos aos guineenses são fudamentalmente três. Pôr Mão Na Lama, para a nossa auto-suficiência alimentar e criação de emprego local para os jovens.

Com o dinheiro de Estado no cofre de Estado, Jose Mario Vaz prometeu financiar investimentos estruturantes para o futuro do país nomeadamente nas areas dos serviços públicos como educação, saúde, infraestruturas entre outros.

A terceira proposta aos guineenses, de acordo com José Mário Vaz prende-se com o início do desenvolvimento no sentido do campo para a cidade, pois é onde se encontra o grosso da população activa e que representa mais de 80 por cento da população.

As 350 toneladas de batata-doce foram orçadas em 25 milhões de francos CFA para dividir aos produtores daquela povoação.

ANG/ÂC/JAM

Cultura/artes plásticas/ Lilison expõe suas obras no Centro Cultural português

(ANG) – O músico e artista plástico guineense que há mais de dezasseis anos se encontra radicado no Canada expos quinta-feira as suas obras no Centro Cultural Português, em Bissau.

Trata-se da segunda exposição de quadros de diferentes tamanhos produzidos por Lilison Sousa Cordeiro desde que regressou a terra natal há dois anos.

A exposição aberta sob o lema “Terra e Tinta”, apresenta obras feitas a base de matéria-prima que segundo Lilison “muitos não acreditam que têm grande importância para o uso humano”.

Em declarações a imprensa, Lilison Sousa Cordeiro destacou que enquanto Músico e Artista Plástico “Guineense e Canadiano”, tinha e ainda tem como desafio trabalhar para o avanço e projecção da Cultura dos seus dois povos.

“Sinto que devo e tenho a obrigação de contribuir para o avanço da cultura do meu país. Ao andar pelas ruas de Bissau, vejo em diferentes bairros, lixos, sacos de plásticos, bidões de óleos esvaziados de um lado para outro, são matérias-primas que aproveitei, para construir algo que pode ser usado pelos guineenses assim como estrangeiros ”, disse Lilison Sousa Cordeiro.

Aquele criador artístico, realçou por outro lado que os quadros exibidos têm diferentes preços, e que os preços são fixados de acordo com o material usado para a sua criação.

Questionado sobre as perspectivas para o futuro, o autor de “Terra e Tinta”, revelou que, em breve, terá que regressar ao Canada devido a um assunto de urgência. Entretanto, deixou garantias que mesmo no exterior continuará a dar o seu tudo para a Guiné-Bissau, em termos de Cultura.

Antes de se emigrar para o Canadá, Lilison actuava com o grupo musical, Nkassa Cobra. Cantava e tocava percursson. No Canadá tem animado muitas noites em salas de espetáculos e convívios particulares, em actuações a solo. ANG/LLA/SG

Publicidade

Cultura/ “Netos de Bandim” ambiciona resgatar os valores culturais da Guiné-Bissau

(ANG)- O Grupo cultural guineense “Netos de Bandim” celebrou recentemente 17 anos de vida sob o lema “salvaguarda , valorização e divulgação do património cultural guineense como principal veiculo para promoção da paz na Guiné-Bissau e no mundo”.

Segundo o jornal O Democrata na data do seu 17º aniversario celebrado a 12 de Novembro de 2017, o grupo inaugurou o seu escritório funcional no bairro de Bandim” com apoio financeiro da União Europeia..

Nessa entrevista a este semanário , o coordenador do grupo Ector Diógenes Cassamá, disse que o sonho do grupo é de um dia se transformar numa instituição cultural de grande dimensão, para trabalhar no resgate dos valores culturais da GuinéBissau, em fase de extinção.

Disse que internamente, os Netos de Bandim procura estabelecer uma comunicação transversal com a população através da arte e cultura, promovendo sessões de sensibilização, intercâmbio, manifestação e divulgação da criatividade em diferentes cenaris sociocultrurais, visando contribuir para uma socidade guineense mais pacífica.

ANG/AALS/ÂC/SG

Fundação Mon na Lama/ Presidente da República recomenda aos produtores de batata-doce para não vender os seus produtos a baixo preço

(ANG) – O Presidente da República, José Mário Vaz apelou aos produtores a suspenção da comercialização dos seus produtos ao preço que considera de “exploração”, alegando que a presidência e o governo estão a trabalhar para encontrar mercados onde vão vender as mercadorias a bom preço.

O Chefe de Estado fez este apelo na visita que efectuou nos dias 5 e 6 do corrente mês aos agricultores da secção Bruce, sector de Bubaque, região de Bolama Bijagós no quadro do seu projecto “Mon na Lama”. O Presidente da República disse ainda que não é possível que as pessoas continuassem a comprar nas mãos dos camponeses um saco de batata de 100 quilos por seis mil francos CFA. Após a sua visita aos dois campos agrícolas dos populares da secção de Bruce, José Mário Vaz reafirmou que o futuro do país depende da agricultura. O chefe de Estado disse que ficou impressionado pela quantidade da área cultivada pela referida comunidade, tendo afirmado que, no presente ano, o sector de Bubaque não terá problemas de fome, devido a quantidade de arroz que será produzido. José Mário Vaz voltou a firmar que só com o trabalho é que o país pode sair da situação em que se encontra. Perante esta situação, o ministro da Agricultura, Florestas e Pecuária, Nicolau dos Santos prometeu apoios materiais aos populares da secção de Bruce como forma de aumentarem a produção de arroz. “Com a mecanização, num futuro próximo da nossa agricultura, o país vai estar em condições de exportar o arroz à semelhança da castanha de caju”, disse o governante. Instado a falar sobre o aparecimento das pragas em algumas bolanhas da zona leste, Nicolau dos Santos, disse que as delegacias regionais de Agricultura estão equipados para fazer face a ataque de pragas. O representante dos anciões de secção de Bruce, Arsénio Barbosa manifestou-se satisfeito com presença do Chefe de Estado naquela localidade.

Contudo, lamentou o êxodo rural dos jovens para as cidades à procura de melhores condições de vida e dos centros de formação, bem como a má condição da estrada que liga a secção de Bruce ao centro de Bubaque.

Por este motivo, apelou ao Chefe de Estado e o governo no sentido de melhorarem as condições da referida via rodoviária e diligenciarem para a construção de um centro de formação profissional em Bubaque para reduzir a fuga dos jovens para Bissau e consequentemente reforçar a mão-de-obra no campo.

Arsénio Barbosa apelou igualmente a conclusão das obras do bloco operatório do hospital sectorial de Bubaque.

Domingas António Cumprido, que falou em nome das mulheres disse que os dois campos agrícolas são resultados da mensagem do Presidente que solicita a população guineense para pôr a mão na lama.

Domingas Cumprido considerou “elevado”o custo de transporte praticado pelo navio “Bijagós” que faz a ligação entre as ilhas e a capital Bissau.

Neste contexto, exortou o executivo para reabilitar o navio “Bária” que pratica precos mais baixos.

Caridade/ Ecobank oferece fontenário a vila de “Djaal de Baixo”

2017-12-12

(ANG) – A população de Djaal de Baixo, no sector de Safim beneficiou no fim-de-semana de um novo furo de água financiado pelo banco “Ecobank”, no âmbito da celebração do dia desta instituição, 9 de Dezembro.

A cerimónia de inauguração e consequente entrega desta nova infra-estrutura contou com a presença do Director Geral dos Recursos Hídricos, Inussa Balde, em representação do Ministro dos Recursos Naturais e do governador da região de Biombo.

Na ocasião, Inussa Balde lembrou que o acesso a água potável se trata de um direito fundamental que assiste a todos, particularmente, os mais vulneráveis. No entanto, indicou que antes de Junho de 1998 Biombo contava com pelo menos 219 furos de água, mas que devido a falta de manutenção e de reciclagem de pecas, a maioria destas bombas acabou por deteriora-se.

“Até 1998, o nível de cobertura em termos de construção de furos de água era de 75 por cento no pais”, esclareceu Inussa Balde que reconheceu que depois deste período houve regressão em termos de investimentos, sobretudo da parte dos parceiros externos, no sector da água.

Não obstante toda esta situação, o Director geral dos Recursos Hídricos garantiu que o executivo esta a construir e recuperar furos de água em Farim, Bafata e a melhorar a rede de abastecimento em Bissau.

“O governo prepara-se para investir 300 milhões de francos Cfa no abastecimento de água” anunciou tendo revelado ainda que, em breve, a União Económica e Monetária Oeste Africana (UEMOA) também vai financiar a construção de pelo menos 200 furos nas regiões de Biombo, Cacheu e Bafata.

Sobre a infra-estrutura inaugurada em Djaal, o representante do Ministro dos Recursos Naturais assegurou para breve o envio de técnicos que irão ajudar a população na gestão da mesma, através de criação de uma comissão local.

Entretanto, o membro do Conselho de Administração do Ecobank, Adelino Handem começou por referir que 400 mil guineenses não têm acesso a água potável, por isso estão expostos a várias doenças ligadas ao consumo de água inapropriada.

Segundo este responsável, foi por isso que aquela instituição bancaria entendeu por bem intervir, através da construção deste furo e entregue a população no âmbito do seu dia anual que tem por lema este ano “Água Potável para Promover uma vida Saudável”.

A Directora da Ecobank Bissau, reforçou ainda que o gesto visa abastecer a população local com água potável, prevenir doenças conexas, tais como diarreia e diminuir o sofrimento das mulheres “nas suas longas e penosas” caminhadas em busca de água para suas necessidades básicas.

O Regulo de Djaal, Joãozinho Nanque agradeceu a Ecobank por esta oferta e pediu que seja construído mais uma bomba no local para cobrir a necessidade de toda a população do seu reinado.

Desde a cinco anos atrás que o Ecobank, instituição financeira sedeada em 34 países da África, celebra o dia 9 de cada mês retribuindo a comunidade com um gesto. No quadro das celebrações deste ano, o banco forneceu poços e tanques poli de água bem como filtros, distribuidores e tratamento de água nas comunidades mais necessitadas no continente negro.

ANG/JAM